26 de dez de 2017

Resenha: Belo Funeral - Irmãos Maddox 5

Belo Funeral - Irmãos Maddox 5
Jamie McGuire
2017, Verus

SINOPSE:

Onze anos depois de fugir para se casar com Abby em Las Vegas, o agente especial Travis Maddox faz a justiça chegar até o chefão da máfia Benny Carlisi. Agora o clã mais antigo do crime organizado da cidade está determinado a se vingar, e todos os membros da família Maddox se tornam alvos em potencial. 

O segredo que Thomas e Travis guardaram por uma década será finalmente revelado, e pela primeira vez os Maddox vão se desentender. Embora todos eles já tenham experimentado a perda em algum ponto da vida, a família cresceu, e os riscos agora são maiores do que nunca. 
Com os irmãos brigando entre si e as esposas se vendo obrigadas a tomar partido, cada membro da família terá de fazer uma escolha: deixar o medo separá-los ou torná-los mais fortes. 
Belo funeral é o volume mais eletrizante da série Irmãos Maddox e vai manter os leitores grudados nas páginas até o fim emocionante. Perder nunca foi fácil para os Maddox, mas a morte sempre vence. O quinto e último volume da série Irmãos Maddox.

Com Belo Funeral, Jamie McGuire encerra a série Irmãos Maddox. Nesse livro encontramos os casais Maddox onze anos após Belo Desastre, a história que deu início a tudo e que deixou uma ponta solta que é a causadora dos acontecimentos atuais. 

De cara o leitor já pensa: qual Maddox vai morrer? Se considerar ainda que a máfia está atrás da família, a coisa só piora.

A história gira em torno do segredo que Thomas e Travis guardaram da família durante todos esses anos e que vem a tona com a forte ameaça da máfia e o risco eminente da família perder um de seus amados filhos. 

Nesse livro, a autora vai mostrando um pouco da vida de cada um dos casais Maddox com seus filhos e de Jim. A família cresceu muito! Foi divertido acompanhar esse desfecho, mas confesso que não sentia falta de um quinto livro. 

Defino Belo Funeral como uma forma de matar a saudades de cada um dos apaixonantes e briguentos irmãos, nada mais. Para quem acompanhou a série, vale sim a leitura, principalmente para descobrir de quem será o belo funeral!

13 de dez de 2017

Resenha: Bruxa da noite - Livro um da trilogia Primos O'Dwyer

Bruxa da noite - Livro um da trilogia Primos O'Dwyer
Nora Roberts
Arqueiro, 2015

SINOPSE:
De uma das autoras mais queridas do mundo chega uma trilogia sobre a terra a que nos conectamos, a família que guardamos no coração e as pessoas que desejamos amar...

Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias – a Irlanda.

Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera.

Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar.

Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath. Uma mistura de caubói, pirata e cavaleiro tribal, ele reúne três de suas maiores fantasias num único pacote.

Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado.

Agora parentes e amigos vão brigar uns com os outros – e uns pelos outros – para manter viva a chama da esperança e do amor.

Dos livros da Nora Roberts que já li, esse é o mais diferente! Embora tenha o romance entre personagens, o tema principal da história é a magia e o poder e a responsabilidade que vem dela.


Bruxa da Noite é o primeiro livro da trilogia Primos O'Dwyer, herdeiros de uma magia antiga e de uma rivalidade com um poderoso bruxo da escuridão. Mais de 700 anos atrás, viveu uma bruxa poderosa chamada Sorcha e seus três filhos que ainda estavam descobrindo seus poderes. Sorcha enfrentava a cobiça de um bruxo que utilizava o lado escuro e sombrio do poder, Cabhan. 
Para derrotá-lo e salvar os filhos, Sorcha transmite para as crianças seus poderes, tornando-os mais fortes e sela a forte ligação que cada um tem com seus animais de estimação: Brannaugh e seu cão e protetor, Kathel; Eamon e o falcão Roibeard e Teagan com o cavalo Alastar.

Nos tempos atuais, Iona, uma americana com origem irlandesa, chega ao país de seus antepassados para conhecer os primos Branna e Connor e saber mais sobre a história de sua família que foi passada de geração em geração e do perigo que estão designados a enfrentar. Juntos, eles formam um novo círculo para lutar contra Cabhan que está retornando. 

E imagina quem está por perto? Branna tem um cão fiel chamado Kathel, Connor trabalha com falcões e seu preferido é Roibeard e claro, Iona acaba encontrando seu Alastar. Além dos animais que descendem dos primeiros protetores, três grandes amigos se juntam aos primos, Fin, Meara e Boyle. Nesse ponto, os leitores acostumados com a autora já é capaz de formar os pares românticos da história.

É um livro diferente e muito gostoso de ler. A presença da magia na vida dos  protagonistas é apresentada como algo especial, porém não assustador e todos convivem tranquilamente com esse fato. O foco desse primeiro volume da trilogia é Iona, sua descoberta da magia, o início de um romance e o confronto com Cabhan. 

Terminei a leitura bem rápido e já fui em busca dos outros dois volumes. Se você gosta de Nora Roberts, vai curtir essa trilogia onde não só o amor está no ar, mas a magia também!

6 de dez de 2017

Resenha: Em busca de Watership Down

Em busca de Watership Down
Richard Adams
Planeta, 2017

SINOPSE:

Quando um coelho vidente prevê a destruição da toca onde vive, ele se une a seus amigos para achar uma nova casa. No caminho rumo à mítica colina de Watership Down, enfrentam rivais e armadilhas. Mas, mesmo depois de chegarem e, teoricamente, encontrarem um lugar seguro para viver, precisarão lutar para salvar a colônia vizinha e repopular a própria comunidade.
Em busca de Watership Down fala de dominação e opressão, de fascismo e utopia, de mitologia e delírio coletivo, de sentimento de comunidade e de loucura. No Reino Unido, ocupa o segundo lugar entre os juvenis de fantasia mais vendidos do século XX, atrás apenas da saga Harry Potter.

Em busca de Watership Down foi uma agradável surpresa! O título faz parte dos lançamentos da Editora Planeta do segundo semestre desse ano e  eu o escolhi para leitura depois de ver a sinopse que me intrigou um pouco. Apesar de gostar muito de fantasia, tive dúvidas se um livro que narra as aventuras de coelhos iria me encantar.... mas encantou!

Durante 460 páginas acompanhamos as aventuras de Quinto, Avelã e os outros coelhos machos que abandonam o viveiro depois que Quinto teve uma visão, prevendo a destruição total do lar deles. Eles partem em busca de um novo lugar para formar o viveiro, liderados por Avelã.

Enfrentam todos os perigos possíveis, com algumas perdas e conquistas pelo caminho. Mas o maior desafio é conseguir fêmeas e ninhadas para que o novo viveiro prospere. 

Podemos dizer que o livro é uma fábula, embora o único aspecto humano dos animais da história é falar. O autor fez questão de manter todas as características originais dos animais.  A única coisa que eles fazem que os diferencia dos animais verdadeiros é falar. E por falar no autor, Richard Adams escreveu essa história no início dos anos 70. Ele criava história para entreter as filhas em viagens longas e depois, a pedido delas, transformou essa grande aventura em livro. A primeira publicação foi em 1974. 

Mas Em busca de Watership Down não é uma história boba para criança dormir! É uma  trama que envolve o despertar da liderança, da fé e da coragem, além de tratar sobre dominação, opressão e delírio coletivo e, mais do que tudo, de sobrevivência. O livro que começou como entretenimento para crianças se tornou uma das melhores fantasias do século XX, um clássico da literatura britânica. 

E agora em 2017 a Editora Planeta relançou esse clássico em uma edição primorosa em capa dura com detalhes dourados. Uma edição para colecionador, com certeza. 

Então se você gosta de se aventurar em leituras que o tirem de sua zona de conforto, eu indico Em busca de Watership Down. Assim como eu, você será positivamente surpreendido.