28 de dez de 2016

Resenha: O eterno namorado - Trilogia A Pousada 2

O eterno namorado - A Pousada 2
Nora Roberts
Arqueiro, 2016

SINOPSE:
Tudo o que acontece na vida de Owen Montgomery é meticulosamente organizado em uma planilha ou lista de tarefas. No trabalho não é diferente, e é graças a sua obsessão por ordem que a Pousada Boonsboro está prestes a ser inaugurada – dentro do cronograma. A única coisa que Owen jamais previu foi o efeito que Avery MacTavish teria sobre ele.

A proprietária da pizzaria em frente à pousada sempre foi amiga da família e agora, enquanto vê em primeira mão a fantástica reforma pela qual o lugar está passando, também observa a mudança gradativa de seus sentimentos por Owen.

Os dois foram namorados de infância, e desde então tinham estado bem distantes dos pensamentos um do outro. O desejo que começa a surgir entre eles, porém, não tem nada de inocente e é impossível de ignorá-los.

Enquanto Owen e Avery decidem se render à paixão e levar seu relacionamento a um nível mais sério, a inauguração da pousada se aproxima e dá a toda a cidade um motivo para comemorar. Mas quando os traumas do passado de Avery batem à porta e a impedem de se entregar, Owen sabe que seu trabalho está longe de terminar. Agora ele precisa convencê-la a baixar a guarda e perceber que aquele que foi seu primeiro amor pode também ser seu eterno namorado.

Esse é o segundo volume da trilogia A Pousada (leia a resenha do primeiro volume Um novo amanhã aqui) e autora nos apresenta um novo casal: Avery e Owen. 

Avery MacTavish é uma jovem independente que gerencia com sucesso sua pizzaria. Amiga de infância de Clare, a protagonista do primeiro livro da trilogia,  e de Hope, a gerente da pousada dos Montgomerys recém chegada a cidade. 

Owen é o organizadinho irmão de Beckett e Ryder Montgomery. Tudo na vida dele é estritamente planejado e anotado em listas de tarefas. Todos poderiam pensar que sua cara metade seria alguém como Hope, a maníaca por organização, mas seu coração desperta para uma paixão de infância... Avery. 

Os dois foram "namorados" quando eram crianças e Owen até deu um anel de noivado para a pequena Avery. Na verdade era um desses anéis de plástico...

Com a inauguração da Pousada BoonsBoro, os irmãos dão início a outro projeto familiar e continuam circulando pelas redondezas que inclui a Vesta, o restaurante de Avery. Em busca de silêncio em meio as barulhentas obras, Owen se refugia no Vesta quando precisa se organizar ou dar telefonemas. Em resumo, ele está sempre por perto de Avery e a amizade dos dois dá sinais de estar se tornando algo mais. Relutantes no início, eles têm medo de estragar a amizade caso o romance não dê certo. 

Entre os medos e algumas cenas quentes entre os jovens, Avery recebe uma visita do passado que a deixa desestruturada. Mas Nora Roberts sempre nos dá finais felizes, não é? 

Só a fantasma Lizzy que mora na pousada ainda não encontrou o seu final feliz. Apesar de contar com a ajuda de Owen e Hope que estão pesquisando sua história, ela ainda continua ali a espera de seu Billy. Mas isso não a impede de dar um empurrãozinho nos teimosos quase casais...

Nesse volume nós também já podemos deslumbrar um pouco do que virá a ser o romance de Hope e Ryder, protagonistas do último livro da trilogia: Par Perfeito, lançado recentemente. 

Nora Roberts, seu sempre indico para os românticos de plantão!

Resenha: 9º Julgamento

9º Julgamento
James Patterson
Arqueiro, 2014

SINOPSE:
Um maníaco impiedoso. Uma jovem mãe e seu bebê são cruelmente mortos dentro do estacionamento de um shopping. Sem testemunhas ou indícios da identidade do assassino, só resta à sargento Lindsay Boxer e ao seu parceiro, Rich Conklin, uma única pista: três letras escritas com batom vermelho no para-brisa do carro das vítimas.
Um assalto sangrento. Em outro canto da cidade, a esposa de um astro de cinema é acordada por um ladrão que está fugindo com milhões de dólares em joias e pedras preciosas. Antes de conseguir chamar a polícia, ela é friamente assassinada e São Francisco fica em estado de histeria.
A morte está próxima. Lindsay é convocada para o novo caso e tenta conciliar as duas investigações e o noivado com Joe Molinari, sempre afetado por seu relacionamento íntimo com Conklin. Em meio a toda a adrenalina, a sargento é obrigada a colocar a própria vida em risco para salvar a cidade antes que a lista de vítimas aumente.


Finalmente eu li último livro de James Patterson (em parceria com Maxine Paetro) da série Clube das Mulheres contra o crime que estava na minha estante esperando. Não foi por falta de interesse que essa leitura demorou e sim de tempo mesmo. Como já devem saber, eu adoro as histórias criadas por Patterson. Ele tem uma forma de escrever que eu gosto muito, com cenários e personagens bem construídos e narrados. 
Em 9º Julgamento ele deixou de lado o suspense de descobrirmos quem são os culpados e logo nos primeiros capítulos já nos apresenta o assassino cruel de mães e bebês e a ladra de jóias. São os dois casos que dividem a atenção da Tenente Lindsay Boxer nessa trama. 

Um maluco atira em uma mãe e seu bebê no estacionamento de um shopping, causando comoção geral, principalmente em Claire, a médica-legista amiga de Lindsay que é mãe de uma bebê em idade próxima a da criança cruelmente assassinada. 

Paralelo a esse caso, acompanhamos a ladra Hello Kitty que invade a casa dos ricos enquanto os donos oferecem jantares no andar de baixo. Ela entra e sai levando caras jóias sem nunca ser vista, mas dessa vez algo deu errado e acaba com a esposa de um astro de cinema assassinada. Mais uma vez aqui, Patterson não esconde os fatos do leitor. O mistério para os leitores é somente saber quando e como a polícia vai descobrir os verdadeiros culpados e se vai conseguir capturá-los. 

Essa "falta" do mistério em nada compromete a história e é até interessante para o leitor que acompanha a investigação da polícia e as ações dos culpados ao mesmo tempo. 

9º Julgamento é mais um livro de James Patterson que eu indico!

Aqui na Estante você pode encontrar a resenha dos outros livros da série Clube das Mulheres Contra o Crime e de outros livros do mesmo autor. É só seguir o link abaixo:






18 de dez de 2016

Resenha: Amor verdadeiro

Amor verdadeiro
Jude Deveraux
Essência, 2016

SINOPSE:
Ambientado numa ilha paradisíaca e um dos romances mais cultuados de Jude Deveraux, best-seller americana que já vendeu mais de 60 milhões de exemplares pelo mundo, o livro conta a história de Alix Madsen. Quando ela está terminando a faculdade de arquitetura, Addy Kingsley, amiga de seus pais, morre. No testamento, a mulher estipula que a jovem tem direito a viver por um ano em sua encantadora casa do século XIX na ilha de Nantucket (Massachusetts), EUA. O relacionamento de tia Addy com a família Madsen é um mistério para Alix, mas ela aceita a oferta e, ao chegar na propriedade dos Kingsley, percebe que não é má ideia passar uma temporada ali. Além de o lugar ser um sonho para qualquer arquiteto, ela conviverá com o charmoso Jared Montgomery Kingsley, dono de um dos mais importantes escritórios de arquitetura do país e sobrinho-neto de Addy, portanto, herdeiro natural da casa. O que Alix não imaginava era que tia Addy tinha um propósito muito específico para ela quando a colocou naquele lugar: solucionar o desaparecimento de Valentina, uma das mulheres da família Kingsley, ocorrido cerca de dois séculos antes. Em meio ao verão na ilha, Alix e Jared serão obrigados a conviver, o que pode ser a chave para desvendar o tal mistério dos Kingsley.

Amor verdadeiro tinha tudo para ser mais um romance daqueles em que a mocinha encontra o homem dos sonhos, se apaixona e tem um final feliz. Mas essa história é bem diferente... Um mocinha, um homem perfeito e um fantasma apaixonado por 200 anos por uma mulher que desapareceu e se tornou o grande mistério da família! Ai sim a história se torna única!

Alix se muda por um ano para a cada da família Kingsley, seguindo os desejos manifestados no testamento de Addy Kingsley, uma senhora amiga da mãe de Alix. Chegando na cidade, ela encontra o famoso arquiteto Jared Montgomery, nas palavras dela "uma lenda viva da arquitetura". E tudo melhora quando ela descobre que ele é o dono da casa em que ficará hospedada. Alix vê ai uma chance de mostrar todo o seu talento para o grande Jared e aprender com ele. 

De cara a reação de Jared ao conhecer Alix não é das melhores e ele tenta fugir de qualquer contato com a jovem, mas seus planos não dão muito certo. Uma dívida com os pais de Alix o fazem mudar de ideia e ele não poderia imaginar como isso seria bom para ele.

Jared cresceu naquela casa e voltou para acompanhar os últimos dias da amada dia Addy. O que ele não contava era que a avó colocaria essa condição absurda no testamento. A tal "lenda viva da arquitetura" se despia de todo o glamour quando saia de New York e chegava a sua cidade natal Nantucket. Lá ele era somente Jared Kingsley, um homem simples, que ajudava a todos na cidade e vivia cercado pelos parentes e pelo fantasma de seu tatataravó (não sei quantos tatata vinham antes do avó kkk) Caleb, falecido em um trágico naufrágio 200 atrás. Caleb aparecia somente para os homens da família e foi presença marcante na infância de Jared que cresceu conversando com o falecido avó. A grande dor de Caleb era não saber o que aconteceu com sua amada Valentina quando ele não retornou de sua longa viagem. Era um mistério que a família não conseguiu resolver esse tempo todo e agora esperava-se que Alix o solucionasse. 
Amor verdadeiro é uma linda e bem construída história de amor que ultrapassou a vida. Com personagens bem definidos, diálogos gostosos e um cenário descrito na medida certa para o leitor. Impossível não se apaixonar pelos personagens... até pelo bonitão Comandante Caleb!

Com certeza, eu indico Amor verdadeiro não somente para os apreciadores de bons romances, mas para todos que gostam de uma história bem contada, daquelas que você fica imaginando como ficaria no cinema! 

Dica de leitura para o final de ano!

16 de nov de 2016

Resenha: O órfão de Hitler

O órfão de Hitler
Paul Dowswell
2016, Editora Planeta

SINOPSE:
Polonês e órfão em seu país, que acaba de ser dominado pelos nazistas. Isso seria praticamente uma sentença de morte para qualquer um durante a Segunda Guerra Mundial, mas Piotr Bruck é salvo por ser filho de alemão e ter um tipo físico que o torna um modelo da superioridade germânica.
Acolhido pela família de um professor de ciência racial no Instituto Kaiser Wihelm de Antropologia, Hereditariedade e Eugenia, Piotr vai para Berlim e lá se torna Peter Bruck. É por meio de seu olhar que o leitor testemunha o fanatismo de jovens e velhos nazistas, sente o medo da delação e da prisão pelas menores críticas, se revolta com a crueldade exercida contra os povos derrotados, os dissidentes e os judeus.
Mas, em meio ao fanatismo, ao medo e à crueldade, ainda há pessoas que conseguem enxergar a tragédia que está acontecendo e reúnem coragem para ajudar os perseguidos. Nesse mundo construído sobre mortos, a decisão de manter a dignidade como ser humano transforma as pessoas em heróis. E esta é a decisão de Peter Bruck.

Livros e histórias sobre esse período vergonhoso da história da humanidade são sempre tristes e impactantes. São em momentos de leitura como a desse livro de Paul Dowswell que nos aproximamos do pensamento nazista e ficamos chocados com ações e posturas de famílias inteiras que seguiram as diretrizes de Hitler. O órfão de Hitler é uma história de ficção, mas baseada em fatos reais estudados pelo autor. 

Peter, nascido Piotr na Polônia, viu seus pais serem assassinados na Guerra e levado como órfão para uma instituição de crianças. De lá, foi levado para uma seleção racial, onde viram nele um exemplar da raça ariana. Encaminhado para uma família alemã em Berlim, Peter começa uma nova vida como alemão e começa já de início a sentir as diferenças e fortes preconceitos que os povos sofrem. 

" Proibida a entrada de poloneses, judeus e cães"
Placa em um estação de trem

Peter começa a estudar e a tentar se enquadrar ao máximo na rotina da família alemã, mas não consegue evitar de sentir-se estranho ao ver o fanatismo das irmãs adotivas, a adoração a Hitler como se fosse uma entidade religiosa e a repreensão a qualquer expressão de questionamento ou dúvida ao que é pregado na escola e na família. E esse sentimento vai crescendo cada vez mais...

Lendo essa história, eu me choquei diversas vezes com passagens que defino como repugnantes. A doutrina utilizada para formar os jovens, impregnada dos conceitos de superioridade e da proibição de relacionar com não puros (a inaceitável forma de sujar a raça e gerar seres inferiores). Termos usados para nomear os não alemães, pais e mães acreditando na normalidade do tratamento sub-humano dado aos judeus, crianças cantando versões de adoração a Hitler e até árvores de Natal orgulhosamente decoradas com suásticas brilhantes.

"Noite feliz, noite feliz,
Eis que o ar, vem cantar
Adolf Hitler ergueu o país
Ouçam bem o que Führer diz...

Olhando para os rostos compenetrados dos outros cantores, via que acreditavam naquilo no fundo de suas almas. De repente, ele se sentiu muito solitário. Quanto mais pensava naquilo, mais o incomodava.(...) Alguma coisa nele não podia aceitar a adoração inquestionável, essa perturbadora fé cega que tinham em Hitler e nos nazistas.

O que traz um pouco de alívio é quando Peter encontra alemães que se arriscaram para ajudar os perseguidos. É bom imaginar que dentro de toda aquela insanidade, haviam pessoas que mantiveram a clareza de pensamento e sua humanidade e correram severos riscos com suas atitudes. Como a história é relatada do ponto de vista de Peter, temos a oportunidade de conhecer lados diferentes da história. Durante a leitura, você fica apreensivo com as ações de Peter, com medo dele ser pego e das consequências de seus atos. Você torce por ele como se fosse algo real acontecendo agora.

Esse é o tipo de livro que precisamos ler de vez em quando para sempre nos lembrarmos do perigo da fé cega, da aceitação plena e do não questionamento. Eu indico O órfão de Hitler para todos.. aos que gostam de ler sobre o tema e também ao que não se interessam por ele, pois juntando ficção com situações históricas, o autor consegue nos passar a mensagem de uma forma mais fácil, mas sem perder seu impacto. 

14 de out de 2016

Resenha: Usain Bolt, mais rápido que um raio - minha autobiografia

USAIN BOLT - Mais rápido que um raio
Minha autobiografia
Usain Bolt, Matt Allen
Planeta, 2014


SINOPSE:
Eu aguardo ansiosamente o "grande momento". É nessa hora que eu me sinto vivo. É só me dar um palco importante, uma disputa, um desafio, e alguma coisa acontece - eu caio na real. Fico um centímetro mais alto, movimento-me uma fração de segundo mais rápido. Coloque-me num palco importante e eu faço acontecer.

Eu ganho corridas e bato recordes desde os 15 anos de idade, mas o sucesso não veio assim tão fácil. Enfrentei lesões complicadas, um acidente de carro e as pressões da fama. Mas, quando é realmente necessário, eu faço acontecer: ganhei seis medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos e fui campeão mundial por oito vezes. Superei todo os desafios quando me tornei o homem mais rápido da Terra.

Essa é a minha história.


Todo mundo já ouviu falar dele, mesmo quem não acompanha ou não sabe nada sobre atletismo, conhece Usain Bolt. Um fenômeno do atletismo nas provas de 100 e 200m. Imbatível até hoje. Esse livro conta sua história até o final de 2013, quando ele "só" tinha 6 medalhas olímpicas! Em 2016 um novo capítulo foi escrito em sua história de sucesso: conquistou mais 3 medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio e se antes já era considerado uma lenda, imagina agora. Quem o vê correndo logo pensa: Esse cara não é humano! Dono de um espetacular dom natural para as corridas, o sucesso não veio assim tão fácil. Ele aprendeu que não basta ser naturalmente excepcional no que faz se não se dedicar aos treinos como seus adversários fazem. O dom natural pode o levar ao topo, mas mantê-lo lá é outra história... E essa história podemos conhecer em detalhes nessa autobiografia lançada pela Editora Planeta em 2014.

Sem meias palavras, Bolt conta sobre sua infância, sobre seu esporte favorito naquela época (críquete), como relutou em encarar a corrida como seu destino e como a parceria com seu treinador o fez se tornar o homem mais rápido do planeta. Além, é claro, de contar sobre seus rivais nas pistas, sempre exaltando sem nenhuma modéstia, a sua superioridade! Se tem uma coisa que ele não tem é modéstia. Sabe seu lugar no esporte e não tem puder em dizer. 

Declaradamente preguiçoso, Bolt relata que negligenciou muitos treinos até perceber que seu talento não bastaria para mantê-lo no topo do pódio. Ao perceber isso, se tornou imbatível. Soube compensar sua estatura alta demais para o esporte (por ser alto, ele demora mais que os demais atletas para endireitar o corpo após a saída dos blocos, resultado: ele não larga bem). 

"Eis a anatomia da minha corrida de 100 metros: Bangue! Da largada, entro na minha fase de impulso, os primeiros 30 metros da corrida em que deixo os blocos e me impulsiono na pista - mantenho o corpo à frente, a cabeça baixa e me forçando bastante. Posso me meter na corrida a partir dessa ponto, mesmo que meus primeiros passos depois do disparo sejam ruins.
Depois disso, me elevo enquanto corro. A cabeça vai para cima, levanto os joelhos e inclino os ombros para baixo como na aceleração forçada. É quando alcanço a velocidade máxima. A 50 metros, olho à esquerda e à direita, para ver como estou posicionado na corrida. Depois disso, me transformo num monstro. Domino a competição. Não importa quem ou quão bom você seja, os últimos 40 metros da minha corrida são a parte mais forte do meu desempenho e, se estiver à sua frente, acabou. Você não me pega. Com 10 metros para terminar, olho à direita e de novo à esquerda. Faço a pergunta: posso parar de correr? Sei nessa etapa se ganhei ou não a corrida porque, nesse momento, só preciso de três passadas e meia para cruzar os últimos 10 metros. Se não houver ninguém à frente, acabou". 

Quando conquistou o título de Homem mais rápido do mundo em New York ao estabelecer um novo recorde mundial de 9,72 segundos, ele voltou seu olhar para os Jogos Olímpicos de Pequim. Com sua primeira medalha olímpica nos 100 metros, Bolt, aí sim, se sentiu eternizado no esporte: 

"Quando ganhei o ouro na final dos 100 metros em Pequim, levei o título de campeão olímpico para sempre. Recebi a coroa, um prêmio absoluto que ninguém poderia riscar dos livros. Nem Asafa, nem Wallace, nem Tyson, nem ninguém. Estava ciente de que o título de O Homem Mais Rápido da Terra me tinha sido dado pela primeira vez em Nova York, mas poderia perdê-lo a qualquer momento. Mais importante, percebia que os recordes eram a cereja, mas as medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos eram o verdadeiro bolo. Agora estava faminto. Acredite, queria mais.

E nasceu também em Pequim sua marca registrada, a pose "Para o mundo". 

"Minha pose foi estampada em capas de revistas e jornais nos quatro cantos do mundo. Á medida que os dias passavam, vi fotos de pessoas em todo o planeta copiando o gesto


Usain Bolt é sem dúvida um fenômeno! Brinca com o público e faz pose para as câmeras. Interpreta muito bem seu papel de celebridade mundial. 

Ler esse livro foi uma experiência muito interessante, pois é possível conhecer a pessoa por trás da imagem do mito. Dores, insegurança e incertezas também convivem com o sucesso e as vitorias. Como o episódio marcante em sua carreira quando queimou a largada dos 100m no Mundial e ficou fora da final. 

Acredita que em 2012 ele não tinha certeza da sua participação no Rio 2016? Se ainda estaria apto a competir?... Lendo hoje, parece até piada!

Li, gostei e indico para você!









8 de set de 2016

Resenha: Órfão X

ÓRFÃO X
Gregg Hurwitz
Planeta, 2016

SINOPSE:

Quando garoto, Evan Smoak foi recrutado no orfanato onde vivia para fazer parte de um programa americano ultrassecreto. Rebatizado de Órfão X, ele foi treinado para ser um exímio assassino e enviado aos piores lugares do mundo para missões que ninguém mais conseguia executar.

Depois de longos anos de atividade, Evan deixa o programa e usa as habilidades de agente secreto para “desaparecer” e viver para um único propósito, agora sob o codinome de “Homem de lugar nenhum”: salvar e proteger pessoas pobres e indefesas como ele havia sido.

No entanto, seu passado de matador sangrento passará a assombrá-lo e também a seus protegidos. Alguém tão bem treinado quanto ele – talvez um ex-colega de programa? – está na sua cola, para tentar eliminá-lo.

Quer a dica de um livro que vai te surpreender? Aquele que você não consegue largar? Órfão X! Comecei a leitura desse livro sem grandes expectativas, apenas tinha gostado da sinopse, mas não posso dizer que estava ansiosa para começar. Mas já no primeiro capítulo ele me cativou e não consegui mais largar. As 334 páginas praticamente viraram sozinhas! O suspense criado a cada ação é sensacional.

Esse livro de Gregg Hurwitz, um autora americano que até então era desconhecido para mim, conta a história de Evan, um garoto que foi levado para uma organização secreta e treinado para se tornar um assassino perfeito, com habilidades extremas. A história é contada a partir de quando Evan, após muitos anos em atividade, começa agir sozinho protegendo pessoas humildes em perigo. Durante a narrativa, há flashbacks do passado e do treinamento de Evan com seu tutor Jack (que representou a figura paterna na vida dele e a única pessoa com quem conviveu). 

Em sua nova vida de "justiceiro", Evan de repente se vê sendo perseguido por um agente com habilidades tão boas ou até melhores que ele. Ele tem controle de todo o ambiente a sua volta, chegando a ser paranoico quando se trata de proteger a sua real identidade e atividades. 

Nas inúmeras passagens em que ele está em ação, o suspense é garantido. Em meio a todo esse cenário de tentar salvar vidas de estranhos e ao mesmo tempo, salvar a sua própria, ele também se envolve com situações normais de pessoais normais e experimenta uma amostra do que é uma vida corriqueira, familiar e social, coisas que ele nunca teve e nunca aprendeu a interpretar os sentimentos ligados a isso. Ele foi treinado para ser um assassino profissional e não um homem comum com sentimentos e apegos. 

A narrativa gira em torno de Evan, seus protegidos, seus perseguidores e alguns vizinhos que acabam tendo um papel significativo em sua vida. Interessante acompanhar o despertar da normalidade em alguém cuja vida é 100% focada no desempenho. Podemos dizer que Evan é "programado" para agir em situações de perigo, mas nada sabe da vida comum. 

Confesso que li a história imaginando como ela ficaria em uma eventual adaptação para o cinema... 

Anota ai essa dica de leitura que você vai gostar: Órfão X.



3 de set de 2016

Resenha: Não fale com estranhos

NÃO FALE COM ESTRANHOS
Harlan Coben
Arqueiro, 2016

SINOPSE:
O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis. 

Adam levava uma “vida dos sonhos” ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira? 

Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos.

Intrigante e perturbador, Não fale com estranhos é mais que um suspense de tirar o fôlego. É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.

Mais um livro com garantia de bons momentos de leitura, viradas de página compulsivas e por ai vai... Harlan Coben provoca esse efeito com suas tramas envolventes e  cheias de mistério. O livro  da vez é Não fale com estranhos!

Adam Price tem uma vida tranquila ao lado da esposa Corinne e os dois filhos adolescentes. Corinne é o tipo de mãe que vive para os filhos, sempre envolvida nos eventos escolares e nas associações de pais. Um dia Adam está aguardando com outros pais a seletiva do time de lacrosse quando é abordado por um homem que lhe faz revelações estranhas sobre Corinne, afirmando que ela mentira sobre uma gravidez e colocando em dúvida a paternidade de Adam. 
Adam poderia ter ignorado completamente o estranho, mas algo nas revelações dele o intrigou e ele não conseguiu deixar o assunto morrer. 

Mais estranho do que as revelações, é a reação de Corinne ao ser confrontada... e ai começa uma série de acontecimentos perturbadores na vida de Adam. 

"E se tudo em que você acreditava sobre sua família fosse mentira?"

Não fale com estranhos é mais uma história bem elaborada de Coben, com personagens bem definidos, mistério na medida certa e um final surpreendente. 

Como não poderia ser diferente: eu indico!

1 de set de 2016

Harry Potter e a Pedra Filosofal Ilustrado

Esse livro se tornou um sonho de consumo para mim assim que vi o lançamento e ontem eu comprei esse lindo na Bienal. Para quem curte HP ele é maravilhoso, mas se não é o seu caso, dá uma chance para essa edição primorosa. Se o ver na livraria, dá uma paradinha e folheia! Com certeza você irá se encantar pela edição, mesmo que não tenha sido um leitor de Harry Potter.

Vou mostrar para vocês algumas da lindas ilustrações feitas por Jim Kay para a obra da J.K.Rowling. Consta que Jim foi contratado para ilustrar todos os sete livros da série! Ai meu Deus... prepara o bolso, Ana!
A capa já um espetacular (foto acima), mas não fica só nela a beleza das ilustrações. Confira:
Ao abrir,  já nos deparamos com a carta que mudou a vida de Harry!

Edwiges ilustrando o primeiro capítulo:
O menino que sobreviveu!

O vidro que sumiu!

Ilustração principal do capítulo
O embarque na plataforma nove e meia

Harry!

O xadrez de bruxo

Adorei essa
 
O homem de duas caras


31 de ago de 2016

Especial: 24ª Bienal Internacional do Livro

Olá, hoje eu visitei a 24ª Bienal Internacional do Livro e trouxe algumas fotos e informações para quem não vai poder ir ou para quem ainda vai e quer ficar por dentro do que vai encontrar. 

A Bienal teve início no dia 26/08 e encerra no dia 04/09 no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na capital paulista. Os ingressos podem ser comprados pela internet ou na bilheteria:
2ª feira a 5ª feira: R$ 20,00 
6ª feira a Domingo: R$ 25,00 
Meia-entrada: Estudante 
Menores de 12 anos e maiores de 60 não pagam ingresso 

(informações extraídas do site oficial do evento)
Estacionamento oficial: R$ 40,00

Vamos as fotos? Começo com o estande da nossa parceira Editora Planeta:



O espaço da Planeta está bem bonito e atraente, com uma boa distribuição dos títulos, boa circulação, tudo bem caprichado!


Os mais vendidos em destaque

Olha minha leitura atual aí (estou na metade e adorando!)


Saindo Planeta, passei para conhecer outro espaço bem bonito: o estante da Companhia das Letras:

A Rocco decorou detalhamente seu estande com o tema Harry Potter e está com uma área bem concorrida para fotos: a plataforma de embarque no Expresso Hogwarts.




 Olha o capricho dos detalhes da decoração interna do estande


Nem só HP encanta na Rocco: espaço dedicado a Clarice Lispector


Submarino (poucos títulos, mas arrasando nos preços)

Lindo espaço Itaú

Divulgação do novo desenho Disney: Moana
Espaço para recreação infantil

Estande Disney


Saraiva presente com um estande enorme e muitos títulos




Outro espaço concorrido é da Arqueiro/Intrínseca/Sextante (faltou fotos...). 

Além das grandes editoras, você encontra estandes de revendedores/distribuidores de livros diversos com preços promocionais, pequenas editoras, áreas para sessões de autógrafos, palestras, encontro com escritores, apresentações, praça de alimentação e muito mais.

Ótimo,a feira está bonita, os expositores capricharam no visual, mas e os preços praticados lá? Então, infelizmente não me impressionaram, não! Muitos dos livros que conferi os preços, você encontra mais barato para compras on line. Não vi também nenhuma promoção tentadora das grandes editoras.
E precisa dar uma pesquisa em vários estandes antes de comprar alguns títulos que estão disponíveis não somente na editora que os lançou, mas nos estandes das distribuidoras e livrarias também. Para se ter uma ideia, o livro que eu "precisava" comprar, Harry Potter e a pedra filosofal ilustrado, estava bem mais barato no estante da Submarino  (R$ 69,90) do que da própria Rocco (R$ 95,90). Aliás, o livro é lindo demais e merece um post só para ele!

Bom, eu gostei muito da visita e pude conhecer vários títulos diferentes do que eu costumo ler e incluí-los na lista de leitura. 

E você, já passou por lá ou pretende ir? Vem nos contar.

Você pode consultar os detalhes do evento no site http://www.bienaldolivrosp.com.br/

Abraços.

Ana



28 de ago de 2016

Resenha: No seu olhar

No seu olhar
Nicholas Sparks
Arqueiro, 2016

Sinopse:

Filha de imigrantes mexicanos, Maria Sanchez é uma advogada inteligente, bonita e bem-sucedida que aprendeu cedo o valor do trabalho duro e de uma rotina regrada. Porém um trauma a faz questionar tudo em que acreditava e voltar para sua cidade natal, a pequena Wilmington. 

A cidade também é o lugar que Colin Hancock escolheu para se dar uma segunda chance. Apesar de jovem, ele sofreu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Também cometeu sua parcela de erro e magoou mais gente do que gostaria. Agora está determinado a mudar de vida, tornar-se professor e dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve. 

Colin e Maria não foram feitos um para o outro, mas um encontro casual durante uma tempestade mudará o rumo de suas histórias. Ao confrontar as diferenças entre os dois, eles questionarão as próprias convicções. E ao enxergar além das aparências, redescobrirão a capacidade de amar. 

Porém, nessa frágil busca por um recomeço, o relacionamento deles é ameaçado por uma série de incidentes suspeitos que reaviva antigos sofrimentos. E quando um perigo real começa a se impor, Colin e Maria precisam lutar para que o amor sobreviva.

Com uma trama madura e repleta de emoções e de suspense,No seu olhar mostra que o amor às vezes é forjado em crises que ameaçam nos destruir e que o primeiro passo para a felicidade é acreditar em quem podemos ser.
Eu já li todos os livros de Sparks publicados no Brasil e não imaginava que pudesse ainda me surpreender. Mas ele conseguiu! No seu olhar é diferente dos romances melosos do autor... ele nos trás elementos que não estamos acostumados a encontrar em suas obras. A história de amor entre Colin e Maria é o pano de fundo para um thriller policial repleto de momentos de suspense que leva o leitor a ficar apreensivo ao virar as páginas e ao mesmo tempo, ansioso pelo desfecho da trama.
"Nicholas Sparks nos leva a uma montanha-russa de emoções, que vai de uma história de amor sensível e tocante à adrenalina de um thriller policial" - The Salt Lake Tribune
Maria é uma jovem advogada mexicana que vive com a família nos Estados Unidos. Sua família é muito unida e ela tem na irmã Serena, sua melhor amiga. Seus pais são donos de um restaurante onde trabalha boa parte de seus tios e primos. Maria cresceu nesse ambiente de amor e cercada de cuidados e hoje é uma profissional séria que luta para conquistar seu espaço no concorrido cenário judicial.
Colin tem uma história completamente diferente: cresceu marcado por episódios de violência, expulso de escolas, preso e também expulso de casa pelos seus pais que preferem manter uma distância segura do filho encrenqueiro. De volta a cidade, Colin busca redenção por seus erros e sonha em ser professor de crianças. Lutador de MMA, é com o rosto todo ferido que ele encontra pela primeira vez Maria. Contra todas as probabilidades, nasce ai um amor sujeito a medos e preconceito. 
Até ai vemos uma típica história de Sparks e estamos confortáveis. Mas quando surge uma ameaça a vida de Maria, percebemos que a trama vai tomando novos rumos... e ai eu me surpreendi. Durante a leitura, teve momentos que até esquecia que estava lendo Nicholas Sparks. Ele soube criar uma romance policial da mesma forma como já escreveu lindas histórias trágicas de amor. 
Para quem é crítico do autor e costuma rotular seus livros sem ao menos lê-los, está aí uma chance de ver um Nicholas diferente. 
Vale a pena se arriscar na leitura de No seu olhar. Quem sabe você também não se surpreende!

28 de jul de 2016

Resenha: Um novo amanhã - Trilogia A Pousada I

Um novo amanhã
Nora Roberts
Arqueiro, 2016


SINOPSE
A tradicional pousada da cidade de Boonsboro já viveu tempos de guerra e paz, teve diversos donos e até sofreu com rumores de assombrações. Agora ela está sendo totalmente reformada, sob direção dos Montgomerys, que correm para realizar a grande reinauguração dentro do prazo. 

Beckett, o arquiteto da família, é um charmoso conquistador que passa a maior parte do tempo falando sobre obras, comendo pizza e bebendo cerveja com seus irmãos Ryder e Owen. Atarefado com a pousada, ultimamente nem tem desfrutado de uma vida social decente, mas pretende mudar logo isso para atrair a mulher por quem é apaixonado desde a adolescência.
Depois de perder o marido na guerra e retornar para Boonsboro, Clare Brewster leva uma vida tranquila cuidando de sua livraria e dos três filhos. Velha amiga de Beckett, ela volta a se reaproximar dele ao ajudar nos preparativos da pousada. 
Em meio a essa apaixonante reconstrução, rodeados de amigos, Beckett e Clare passam a se conhecer melhor e começam a vislumbrar um futuro novo e promissor juntos. 
Neste primeiro livro da trilogia A Pousada, Nora Roberts apresenta o romântico Beckett Montgomery, que, ao buscar realizar o sonho de sua família, acaba deparando com um amor que pensava estar esquecido.

Ler Nora Roberts é sempre uma delícia... histórias lindas e leves, daquelas que nos fazem esquecer de problemas e apenas saborear o romance. Mulheres fortes e decididas e homens apaixonantes. Um novo amanhã, o primeiro volume da trilogia A Pousada, não foge a regra. 

Clare Brewster é uma jovem viúva com três filhos pequenos que além de cuidar dos meninos ainda administra com sucesso uma livraria na cidade de Boonsboro. Beckett Montgmery é um arquiteto que, ao lado dos irmãos, está reformando uma propriedade da família para transforma-la em um linda e cativante pousada. Ahh... ele também é apaixonado por Clare desde a adolescência!

A história se desenrola entre os muitos detalhes da obra (que para mim foram um pouco cansativos) e a aproximação do casal e de Beckett com os filhos da amada. Mas para não deixar tudo muito meloso, surge uma ameaça a felicidade do casal e principalmente, a integridade física de Clare quando um admirador passa do ponto e chega a obsessão. Momentos de tensão na linda história do casal.

Também fazem parte da trama a amiga de infância de Clare, Avery, os irmãos de Beckett, Owen e Ryder e a recém chegada gerente da pousada Hope. Já imaginamos ai os casais da continuação da trilogia, certo?

O segundo volume é O Eterno Namorado lançado recentemente e que terá como foco, Avery e Owen. O último livro é O Par Perfeito, ainda não lançado por aqui.

Leia aqui um trecho e Um novo amanhã.


"Nora tem habilidade para captar as nuances masculinas e inseri-las em seus heróis. Um novo amanhã leva o leitor a celebrar o amor, dando-lhe uma sensação acolhedora, aconchegante"
USA Today




24 de jul de 2016

Dica de leitura: Rick Riordan para adultos

Tequila Vermelha
Rick Riordan
Record, 2011

Quando me deparei com esse livro,  não tive dúvidas em comprá-lo, afinal eu adoro a escrita de Rick Riordan. Mesmo estando longe de ser seu público alvo com a série Percy Jackson, a maneira com que Riordan conta as histórias me cativou totalmente.
Rick Riordan para adultos? É claro que entraria na minha lista. 

Tequila Vermelha é o primeiro dos sete romances protagonizados por Tres Navarre. A história é narrada pelo protagonista que retorna a sua cidade natal após dez anos do assassinato, não esclarecido, de seu pai. Uma das características que gosto no autor se mostra bem marcante nessa história também: o bom humor (e doses ótimas de sarcasmo). 
Conheça a história e se aventure por ela também.


Conheça TRES NAVARRE...
ÁVIDO BEBEDOR DE TEQUILA,
MESTRE EM TAI CHI,
DETETIVE PARTICULAR SEM LICENÇA E COM UMA QUEDA POR PROBLEMAS DO TAMANHO DO TEXAS.


SINOPSE:
Quando Jackson “Tres” Navarre e seu gato Robert Johnson, que adora uma ENCHILADA, chegam à cidade de San Antonio, são recepcionados por uma quantidade enorme de problemas!

Navarre deixou a cidade e as memórias do assassinato do pai para trás, há dez anos. Agora ele está de volta, e quer encontrar respostas. Mas quanto mais Tres se aprofunda na busca por razões que afastem suas suspeitas, mais o crime do passado volta ao presente, e aumentam as complicações que o rodeiam: envolvimento com a máfia, subornos em empreiteiras e astutos jogos políticos.

Fica cada vez mais óbvio que Tres mexeu em um vespeiro! Ele é baleado, atacado, depois atropelado por um Thunderbird azul… E, ainda por cima, sua antiga (e ainda desejada) namorada está desaparecida. Tres precisa resgatar a moça, entregar os assassinos do pai à justiça e dar o fora antes que a máfia texana o alcance. As chances de ele continuar vivo nunca pareceram tão distantes…





O próximo livro da série é a Dança do Viúvo, também publicado pela Record.





Sete livros compõem a série Tres Navarre: