28 de dez de 2016

Resenha: O eterno namorado - Trilogia A Pousada 2

O eterno namorado - A Pousada 2
Nora Roberts
Arqueiro, 2016

SINOPSE:
Tudo o que acontece na vida de Owen Montgomery é meticulosamente organizado em uma planilha ou lista de tarefas. No trabalho não é diferente, e é graças a sua obsessão por ordem que a Pousada Boonsboro está prestes a ser inaugurada – dentro do cronograma. A única coisa que Owen jamais previu foi o efeito que Avery MacTavish teria sobre ele.

A proprietária da pizzaria em frente à pousada sempre foi amiga da família e agora, enquanto vê em primeira mão a fantástica reforma pela qual o lugar está passando, também observa a mudança gradativa de seus sentimentos por Owen.

Os dois foram namorados de infância, e desde então tinham estado bem distantes dos pensamentos um do outro. O desejo que começa a surgir entre eles, porém, não tem nada de inocente e é impossível de ignorá-los.

Enquanto Owen e Avery decidem se render à paixão e levar seu relacionamento a um nível mais sério, a inauguração da pousada se aproxima e dá a toda a cidade um motivo para comemorar. Mas quando os traumas do passado de Avery batem à porta e a impedem de se entregar, Owen sabe que seu trabalho está longe de terminar. Agora ele precisa convencê-la a baixar a guarda e perceber que aquele que foi seu primeiro amor pode também ser seu eterno namorado.

Esse é o segundo volume da trilogia A Pousada (leia a resenha do primeiro volume Um novo amanhã aqui) e autora nos apresenta um novo casal: Avery e Owen. 

Avery MacTavish é uma jovem independente que gerencia com sucesso sua pizzaria. Amiga de infância de Clare, a protagonista do primeiro livro da trilogia,  e de Hope, a gerente da pousada dos Montgomerys recém chegada a cidade. 

Owen é o organizadinho irmão de Beckett e Ryder Montgomery. Tudo na vida dele é estritamente planejado e anotado em listas de tarefas. Todos poderiam pensar que sua cara metade seria alguém como Hope, a maníaca por organização, mas seu coração desperta para uma paixão de infância... Avery. 

Os dois foram "namorados" quando eram crianças e Owen até deu um anel de noivado para a pequena Avery. Na verdade era um desses anéis de plástico...

Com a inauguração da Pousada BoonsBoro, os irmãos dão início a outro projeto familiar e continuam circulando pelas redondezas que inclui a Vesta, o restaurante de Avery. Em busca de silêncio em meio as barulhentas obras, Owen se refugia no Vesta quando precisa se organizar ou dar telefonemas. Em resumo, ele está sempre por perto de Avery e a amizade dos dois dá sinais de estar se tornando algo mais. Relutantes no início, eles têm medo de estragar a amizade caso o romance não dê certo. 

Entre os medos e algumas cenas quentes entre os jovens, Avery recebe uma visita do passado que a deixa desestruturada. Mas Nora Roberts sempre nos dá finais felizes, não é? 

Só a fantasma Lizzy que mora na pousada ainda não encontrou o seu final feliz. Apesar de contar com a ajuda de Owen e Hope que estão pesquisando sua história, ela ainda continua ali a espera de seu Billy. Mas isso não a impede de dar um empurrãozinho nos teimosos quase casais...

Nesse volume nós também já podemos deslumbrar um pouco do que virá a ser o romance de Hope e Ryder, protagonistas do último livro da trilogia: Par Perfeito, lançado recentemente. 

Nora Roberts, seu sempre indico para os românticos de plantão!

Resenha: 9º Julgamento

9º Julgamento
James Patterson
Arqueiro, 2014

SINOPSE:
Um maníaco impiedoso. Uma jovem mãe e seu bebê são cruelmente mortos dentro do estacionamento de um shopping. Sem testemunhas ou indícios da identidade do assassino, só resta à sargento Lindsay Boxer e ao seu parceiro, Rich Conklin, uma única pista: três letras escritas com batom vermelho no para-brisa do carro das vítimas.
Um assalto sangrento. Em outro canto da cidade, a esposa de um astro de cinema é acordada por um ladrão que está fugindo com milhões de dólares em joias e pedras preciosas. Antes de conseguir chamar a polícia, ela é friamente assassinada e São Francisco fica em estado de histeria.
A morte está próxima. Lindsay é convocada para o novo caso e tenta conciliar as duas investigações e o noivado com Joe Molinari, sempre afetado por seu relacionamento íntimo com Conklin. Em meio a toda a adrenalina, a sargento é obrigada a colocar a própria vida em risco para salvar a cidade antes que a lista de vítimas aumente.


Finalmente eu li último livro de James Patterson (em parceria com Maxine Paetro) da série Clube das Mulheres contra o crime que estava na minha estante esperando. Não foi por falta de interesse que essa leitura demorou e sim de tempo mesmo. Como já devem saber, eu adoro as histórias criadas por Patterson. Ele tem uma forma de escrever que eu gosto muito, com cenários e personagens bem construídos e narrados. 
Em 9º Julgamento ele deixou de lado o suspense de descobrirmos quem são os culpados e logo nos primeiros capítulos já nos apresenta o assassino cruel de mães e bebês e a ladra de jóias. São os dois casos que dividem a atenção da Tenente Lindsay Boxer nessa trama. 

Um maluco atira em uma mãe e seu bebê no estacionamento de um shopping, causando comoção geral, principalmente em Claire, a médica-legista amiga de Lindsay que é mãe de uma bebê em idade próxima a da criança cruelmente assassinada. 

Paralelo a esse caso, acompanhamos a ladra Hello Kitty que invade a casa dos ricos enquanto os donos oferecem jantares no andar de baixo. Ela entra e sai levando caras jóias sem nunca ser vista, mas dessa vez algo deu errado e acaba com a esposa de um astro de cinema assassinada. Mais uma vez aqui, Patterson não esconde os fatos do leitor. O mistério para os leitores é somente saber quando e como a polícia vai descobrir os verdadeiros culpados e se vai conseguir capturá-los. 

Essa "falta" do mistério em nada compromete a história e é até interessante para o leitor que acompanha a investigação da polícia e as ações dos culpados ao mesmo tempo. 

9º Julgamento é mais um livro de James Patterson que eu indico!

Aqui na Estante você pode encontrar a resenha dos outros livros da série Clube das Mulheres Contra o Crime e de outros livros do mesmo autor. É só seguir o link abaixo:






18 de dez de 2016

Resenha: Amor verdadeiro

Amor verdadeiro
Jude Deveraux
Essência, 2016

SINOPSE:
Ambientado numa ilha paradisíaca e um dos romances mais cultuados de Jude Deveraux, best-seller americana que já vendeu mais de 60 milhões de exemplares pelo mundo, o livro conta a história de Alix Madsen. Quando ela está terminando a faculdade de arquitetura, Addy Kingsley, amiga de seus pais, morre. No testamento, a mulher estipula que a jovem tem direito a viver por um ano em sua encantadora casa do século XIX na ilha de Nantucket (Massachusetts), EUA. O relacionamento de tia Addy com a família Madsen é um mistério para Alix, mas ela aceita a oferta e, ao chegar na propriedade dos Kingsley, percebe que não é má ideia passar uma temporada ali. Além de o lugar ser um sonho para qualquer arquiteto, ela conviverá com o charmoso Jared Montgomery Kingsley, dono de um dos mais importantes escritórios de arquitetura do país e sobrinho-neto de Addy, portanto, herdeiro natural da casa. O que Alix não imaginava era que tia Addy tinha um propósito muito específico para ela quando a colocou naquele lugar: solucionar o desaparecimento de Valentina, uma das mulheres da família Kingsley, ocorrido cerca de dois séculos antes. Em meio ao verão na ilha, Alix e Jared serão obrigados a conviver, o que pode ser a chave para desvendar o tal mistério dos Kingsley.

Amor verdadeiro tinha tudo para ser mais um romance daqueles em que a mocinha encontra o homem dos sonhos, se apaixona e tem um final feliz. Mas essa história é bem diferente... Um mocinha, um homem perfeito e um fantasma apaixonado por 200 anos por uma mulher que desapareceu e se tornou o grande mistério da família! Ai sim a história se torna única!

Alix se muda por um ano para a cada da família Kingsley, seguindo os desejos manifestados no testamento de Addy Kingsley, uma senhora amiga da mãe de Alix. Chegando na cidade, ela encontra o famoso arquiteto Jared Montgomery, nas palavras dela "uma lenda viva da arquitetura". E tudo melhora quando ela descobre que ele é o dono da casa em que ficará hospedada. Alix vê ai uma chance de mostrar todo o seu talento para o grande Jared e aprender com ele. 

De cara a reação de Jared ao conhecer Alix não é das melhores e ele tenta fugir de qualquer contato com a jovem, mas seus planos não dão muito certo. Uma dívida com os pais de Alix o fazem mudar de ideia e ele não poderia imaginar como isso seria bom para ele.

Jared cresceu naquela casa e voltou para acompanhar os últimos dias da amada dia Addy. O que ele não contava era que a avó colocaria essa condição absurda no testamento. A tal "lenda viva da arquitetura" se despia de todo o glamour quando saia de New York e chegava a sua cidade natal Nantucket. Lá ele era somente Jared Kingsley, um homem simples, que ajudava a todos na cidade e vivia cercado pelos parentes e pelo fantasma de seu tatataravó (não sei quantos tatata vinham antes do avó kkk) Caleb, falecido em um trágico naufrágio 200 atrás. Caleb aparecia somente para os homens da família e foi presença marcante na infância de Jared que cresceu conversando com o falecido avó. A grande dor de Caleb era não saber o que aconteceu com sua amada Valentina quando ele não retornou de sua longa viagem. Era um mistério que a família não conseguiu resolver esse tempo todo e agora esperava-se que Alix o solucionasse. 
Amor verdadeiro é uma linda e bem construída história de amor que ultrapassou a vida. Com personagens bem definidos, diálogos gostosos e um cenário descrito na medida certa para o leitor. Impossível não se apaixonar pelos personagens... até pelo bonitão Comandante Caleb!

Com certeza, eu indico Amor verdadeiro não somente para os apreciadores de bons romances, mas para todos que gostam de uma história bem contada, daquelas que você fica imaginando como ficaria no cinema! 

Dica de leitura para o final de ano!